Orientações para Emagrecer

                        Imagine que Você fará uma viagem nas próximas férias. Será necessária uma programação minuciosa de todas as etapas deste objetivo para que tudo seja motivo de satisfação e de sucesso.

                       Assim, emagrecer será a grande viagem da sua vida. Deverá ser uma mudança definitiva de comportamento para que haja êxito. É uma questão de sobrevivência ou de evolução para uma qualidade de vida melhor.

                        O conceito básico para entendermos a razão desta viagem, é que, se o seu peso está acima do esperado, a sua ingestão de calorias através da sua dieta está maior do que o seu gasto calórico diário. Tudo o que não é consumido, é armazenado no seu organismo resultando no ganho de peso.

                         Outro conceito de difícil avaliação é a identificação do que é fome e o que é gula.

                         Faça um teste: Quando for a um restaurante self-service imagine comer apenas o necessário para obter as calorias daquele dia.

                         Será que Você precisa comer mais de 500 gramas por refeição?  Como está tudo incluído nas despesas, será que Você consegue “desperdiçar” e não comer os doces da sobremesa”? Você consegue evitar refrigerantes e bebidas alcoólicas durante a refeição?

Programação é justamente pensar antecipadamente como evitar todos estes “excessos”, como driblá-los, para não piorar o que já passou dos limites.

Imagine que Se Você já está no cheque especial da sua conta bancária e precisa abastecer o seu carro para uma viagem de 200 km, Você pode abastecer com 20 litros de combustível suficientes para este percurso ou encher o tanque com 50 litros no total e gastar mais que o dobro do necessário, pagando os juros do seu cheque especial. Por se tratar de uma situação emergencial, não seria mais econômico colocar apenas o necessário de combustível e não gastar além da conta?

Se Você já tem um resultado de “30 ou mais” no cálculo do seu Índice de Massa Corpórea, Você já é considerado Obeso e assim já está usando o “cheque especial da sua saúde” e um dia Você terá que pagar esta conta.

Eis aqui algumas orientações básicas para seguir:

  1. Evite o açúcar. Substitua por adoçante artificial.
  2. Evite Carne Vermelha. Coma peixes e carne de frango.
  3. Evite frituras. Prefira alimentos grelhados, assados ou cozidos.
  4. Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas. Beba 2 litros de água por dia.
  5. Evite queijos amarelos. Prefira queijo branco tipo Minas, ricota ou cotagge.
  6. Evite manteiga. Prefira Margarina.
  7. Evite o excesso de sal. Evite o uso de shoyu.
  8. Prefira o Azeite de Oliva.
  9. Evite o pão francês. Prefira o pão integral e as bolachas de água e gergelim.
  10. Evite doces. Prefira as frutas.
  11. Acrescente mais folhas (Alface, Rúcula) e legumes na sua alimentação.
  12. Não passe fome. Evite o jejum prolongado.
  13. Durma pelo menos de 6 a 8 horas por noite.
  14. Pratique atividade física, meia hora por dia e três vezes por semana.
  15. Evite usar medicamentos para emagrecer.

             Se já estiver convencido do que é necessário ser feito, mude sua vida, procure ajuda do Médico de sua confiança. Converse com uma Nutricionista. Reduza seu peso.

Obesidade

Você quer emagrecer?

 

                        Possivelmente Você pensou em reduzir seu peso e escolheu a próxima 2ª feira para iniciar o seu mais novo regime.

                        Talvez Você tenha decidido emagrecer após perceber uma roupa mais justa e mais difícil de vestir que antigamente caia tão bem no seu corpo. Esta é a percepção pessoal.

                        O pior ainda acontece quando muita gente ao seu redor começa a fazer comentários de que o seu peso aumentou consideravelmente. Esta é a percepção coletiva.

                        Quando o seu Médico declara guerra ao seu peso informando que o seu Índice de Massa Corpórea superou o limite da obesidade, aí Você tem a percepção técnica, que é mais cruel.

                        Definitivamente emagrecer será um processo complexo de mudança de comportamento e a decisão mais importante para quem é obeso ou está na faixa de sobrepeso.

                        Não se trata apenas de comer mais saladas e evitar alimentos gordurosos. Você terá que mudar a sua forma de pensar e de agir. Não será fácil e muitos desistem. Remédios milagrosos não ajudarão a vida inteira.

Você vai precisar reaprender a viver. Será necessário uma profunda reflexão para reconhecer suas emoções, seu nível de ansiedade, seu padrão de estresse diário, além de saber como dormir e como fazer exercícios. Será necessário entender como ter satisfação e prazer, bem como se alimentar. Tudo isto com programação e sem passar fome.

                        Em geral vamos querer o resultado antes do investimento, o que na prática não é possível. Teremos que acertar o foco ao pensar que primeiro vamos comer com qualidade e que a redução de peso corporal será uma conseqüência natural e não o contrário.

                        Parece fácil mas não é!

 

 

Prisão de Ventre

Dr. Celso Báez do Carmo.

CREMESP 57.071

O que é?

A Wikipédia, define que a “Prisão de Ventre”, também chamada de obstipação ou constipação intestinal, é caracterizada pela dificuldade constante ou eventual da evacuação das fezes, que se tornam ressecadas. Esta, não deve ser considerada como uma doença, mas como um sintoma ou efeito de alimentação deficiente, estresse e outros problemas que fazem com que o organismo responda retendo as fezes por um período maior do que o normal.

O que é normal?

Há uma grande variação dentro da normalidade para o ritmo intestinal que pode ser de 3 vezes ao dia a 3 vezes na semana. Qualquer ritmo entre estas variáveis pode ser considerado normal.

Quais são os sintomas?

Em geral há durante o período de Prisão de Ventre, há a sensação de inchaço no abdome, cólicas, irritabilidade e ao final as fezes endurecidas podem produzir dor e até sangramento anal ao evacuar.

Quais são as causas?

Entre as causas possíveis estão:

  • a má alimentação, tanto com carência de fibras quanto de líquidos.

  • pouco consumo de frutas e verduras.

  • a ocorrência de postergação do momento de evacuar para não ocorrer a interrupção de algum trabalho ou até para se evitar banheiros públicos.

  • o sedentarismo mesmo sem uma explicação exata do motivo.

  • efeitos colaterais de alguns medicamentos.

  • ansiedade, depressão e estresse

  • doenças relacionadas ao cólon ou ao reto.

O que fazer?

  • Converse com o seu Médico de Confiança para buscar um diagnóstico e não apenas corrigir um sintoma.

  • Tente  descobrir e tratar as causas deste problema intestinal.

  • Coma alimentos ricos em fibras, como cereais, frutas frescas e vegetais. As fibras amolecem as fezes de uma forma natural. Alguns tipos de fibras absorvem a água como uma esponja, tornando as fezes mais maleáveis e de fácil evacuação.

  • Aumente a ingestão de líquidos: pelo menos 2 litros de água por dia.

  • Beber chá ou água quente podem estimular o funcionamento do intestino.

  • Combata o estresse praticando atividade física.

  • Evite o uso contínuo de laxantes que podem provocar sérios danos à saúde.

Quais são os tipos de laxativos?
 
  • Os Laxativos Volumosos aumentam o conteúdo de água nas fezes e o volume das fezes, fazendo pressão sobre as paredes do cólon e dando origem às contrações musculares. São os mais seguros, pois não irritam o cólon, nem causam dependência. São fáceis de juntar à sopa, às papas para bebé ou ao iogurte. No entanto, certifique-se de que bebe bastante água.
    • 1 a 3 colheres de sopa de sementes de linhaça moídas, uma a duas vezes por dia.
    •  2 a 4 cápsulas de sementes ou casca de plantago ovata, até 3 vezes por dia. Pode ser encontrado nas farmácias, em saquinhos.
  • Os laxativos osmóticos promovem a secreção de água no cólon, iniciando os movimentos intestinais. São não-irritantes: A lactulose, o manitol e o sorbitol são grandes açúcares que não são digeridos nem absorvidos. Muitos preparados farmacêuticos contêm-nos. Siga as instruções da bula.  O leite de magnésio, o citrato de magnésio, e os sais minerais são seguros para uso ocasional, mas não são recomendados para uso diário pois podem causar dependência. Também se compram na farmácia.
  • O estimulantes ou laxativos de contacto irritam a parede intestinal, causando um aumento de contrações. Podem prejudicar o cólon e causar dependência com o uso habitual. Não são recomendados durante a gravidez e o aleitamento. Também podem causar cólicas e náuseas. A cáscara sagrada e o sene (cassia acutifolia) são exemplos de laxativos estimulantes eficazes, contidos em muitos chás e comprimidos laxativos, bem como em fórmulas para a perda de peso. O aloés contém estimulantes do mesmo grupo, mas parece ser mais brando relativamente ao cólon.
  • Os produtos que contêm óleo mineral, como a parafina líquida, não são recomendados. Agem amolecendo as fezes, mas podem aumentar a absorção de alguns medicamentos e interferir com a absorção de vitaminas lipossolúveis. Também podem provocar pólipos no cólon. Há muitos medicamentos naturais seguros e eficazes para lidar com este problema, mas uma mudança prudente na alimentação e no estilo de vida poderá ser suficiente.

Alimentos que devem ser ingeridos com maior freqüência:

  • Cereais integrais (farinhas, trigo, arroz), pão integral, biscoito integral.

  • Leguminosas frescas e secas (feijão, grão de bico, fava, lentilha)

  • Frutas frescas como laranja com bagaço, mamão, pêra, uva, figo, ameixa fresca, mexerica, abacaxi, banana prata (excepto maçã e banana maçã)

  • Sementes oleaginosas (nozes, avelãs, amêndoas, castanhas, amendoim, pistache)

  • Verduras como alface, acelga, agrião, aipo, espinafre, nabo, repolho, rabanete, cenoura, mostarda, brócolos, pimentão, (de preferência cruas)

  • Frutas secas (uva passa, figo, ameixa, damasco)

  • Sucos de frutas como laranja, tangerina, abacaxi, maracujá (sem coar)

  • Leite e derivados, principalmente batido com frutas e mel

  • Chá de jasmim.

  • Farelo de trigo.

  • Recomendação importante: Ingerir de 2 a 3 litros de água por dia.

  • Sugestão em caso de permanecer por 3 dias sem evacuar: Bater 1 copo de leite gelado, com ½ mamão papaia, 4 ameixas secas e tomar em jejum; ou Ferver em 1 xícara de água 6 ameixas secas, coar e beber à noite.

Referências:

 

Triglicérides

Dr. Celso Báez do Carmo.

CREMESP 57.071

Triglicérides

 

- São tipos de gorduras que no nosso organismo desempenham importante papel nutricional, atuando como fonte de calorias e transportando através do sangue as vitaminas lipossolúveis (A,D,E,K).  O excesso (>150 mg/dl) é prejudicial à saúde como fator de risco para doenças cardiovasculares.  Assim fique atento a estas recomendações:

Para reduzir os níveis sanguíneos dos Triglicérides tenha atenção redobrada com a sua alimentação:

  • Alimentos proibidos:
    • Açúcar, mel, doces, sorvetes, gelatinas;
    • Pudim, compotas, frutas secas e cristalizadas;
    • Roscas, tortas, balas, biscoitos, chocolates;
    • Massas como: lasanha, caneloni, ravióli;
    • Pizzas;
    • Farinhas (mandioca, milho, trigo, aveia);
    • Refrigerantes;
    • Bebidas alcoólicas.
  • Alimentos permitidos com moderação:
    • Bolachas de água e sal, de água e torradas;
    • Batata, mandioca, beterraba, arroz, macarrão;
    • Feijão, ervilha, soja, lentilha, vagem, milho verde.
  • Alimentos liberados:
    • Leite desnatado, café, chá, suco de frutas;
    • Queijos;
    • Carnes magras;
    • Óleo vegetal em pouca quantidade;
    • Frutas;
    • Verduras e legumes.
  • Recomendações:
    • Utilizar adoçante no lugar do açúcar;
    • Praticar exercícios físicos regularmente.

Veja mais em:

Alimentação ruim pode causar depressão!

 

Uma alimentação ruim pode dobrar o risco de depressão. A pessoa que tem sua o padrão alimentar baseado em carnes processadas, gorduras trans e saturadas, cereais refinados, açúcar e aditivos alimentares (corantes, conservantes etc.) está com o risco duplicado de ter depressão na meia idade. O estudo, publicado no British Journal of Psychiatry, acompanhou quase 3.500 homens por cinco anos, no Reino Unido.

O padrão alimentar foi definido em dois grupos: alimentação integral (alto consumo de vegetais, frutas e peixe) e industrializada (alto consumo de doces, frituras, carne processada, gorduras trans e saturadas e cereais refinados). O mais alto grau diz respeito à ingestão dos alimentos de cada grupo seis ou mais vezes por dia; o grau mais baixo significa que os alimentos não são consumidos nunca ou menos de uma vez por mês.

Após cinco anos, os participantes responderam a um questionário padronizado para medir sintomas de depressão.

Os pesquisadores fizeram, então, os ajustes para eliminar  fatores como atividade física, doenças crônicas, tabagismo, condições sociodemográficas, hábitos de vida, parâmetros médicos e depressão preexistente. Mesmo excluindo esses potenciais influenciadores, o grupo com o padrão alimentar baseado em alimentos industrializados apresentou o     dobro de chances de desenvolver depressão.

Para Tasmine Akbaraly, coordenadora do estudo, o efeito deletério dos alimentos industrializados na depressão é uma descoberta nova. E ainda segundo a pesquisadora, mais estudos deverão ocorrer para explicar essa associação, mas a hipótese é que ela se deve ao maior risco de inflamação e doenças do coração, que estão envolvidas na depressão.

Os pesquisadores do Departamento de Epidemiologia e Saúde Pública da University College, em Londres, e do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica de Montpellier, na França, utilizaram a base de dados do estudo de coorte Whitehall 2, que envolve vários países e inclui no total 10.308 pessoas.

Fonte: http://www.corposaun.com/alimentacao-risco-depressao/13317/

Alimentos, Cuidando de Seu Coração

 

Conheça alguns alimentos que podem proteger e manter em ótimas condições seu coração e os vasos sanguíneos.

As doenças cardíacas tem sido um problema crescente nas últimas décadas e em grande parte o problema é causado por fatores como estresse e pela má alimentação. Conheça alguns alimentos que ajudam o sistema cardiovascular a se manter sempre saudável.

Azeite de oliva – Óleo rico em antioxidantes que atuam diminuindo o acúmulo das placas de gordura nas paredes das artérias.

Peixe – Alimento de ricas propriedades saudáveis, tem boas quantidades de ômega-3, que dificulta a formação de coágulos e estabiliza arritmias cardíacas. São ótimas opções o salmão, a sardinha e a truta.

Cereais Integrais – Tem alguma influencia na diminuição da pressão arterial devido a queda na absorção do sódio, sendo um bom adjuvante na alimentação de hipertensos.

Soja – Entre suas várias propriedades benéficas tem sido utilizada para controlar os níveis de colesterol.

Tomate, Jabuticaba, Amora e Uva – São alimentos ricos em flavonóides e protegem as células arteriais e melhoram a elasticidade das artérias.

Chá Verde – Tem sido utilizado muito nos últimos anos, é rico em flavonóides e antioxidantes proporcionando a diminuição do colesterol e das placas gordurosas no sangue.

Lembre-se que os alimentos podem servir de maneira positiva aos propósitos da saúde, mas não devem ser usados para substituir os tratamentos convencionais. Oriente-se com seu médico sobre o uso de medicamentos em conjunto com alimentos para que isso não atrapalhe algum tratamento que esteja realizando.

Fonte: http://www.osabetudo.com/alimentos-cuidando-de-seu-coracao/